Nossa primeira experiência

Ano passado, num mar de sorte, tivemos um lançamento muito barato na cidade do G (vocês provavelmente irão ver nós falarmos muito sobre barato e caro aqui. Em uma cidade do interior 200k é uma fortuna pra se comprar um imóvel, aqui onde moramos, não é nada). Não pensamos duas vezes para ir visitar o decorado, afinal, além da proposta de pagamento ser excelente, ainda era perto da casa dele.

Apartamento de 50m², dois dormitórios, opção de cozinha americana, 1 vaga na garagem + piscina, academia, playground. 3 torres. 6 andares. Pagamento facilitado.

Ficamos apaixonados pelo decorado. Pensamos várias vezes no assunto, falamos com nossos familiares e resolvemos dar entrada nos papéis. No início, o esquema de compra era muito simples e bom. A entrada girava em torno de 4 mil reais e as parcelas mensais, até a entrega das chaves, eram de 600 reais. Quando fomos entregar os papéis, começaram a nos falar das outras taxas, como a Taxa de Juros de Obra. Pelo que entendi, o valor do juros que faria o saldo devedor final ficar X+Y, ficaria apenas X, porém, o valor Y dos juros, pagaríamos juntamente com os 600 reais. A princípio, nos falaram que a taxa era baixa, então prosseguimos com a papelada.

Na nossa próxima visita, essa taxa aumentou, por que todas as informações dadas pela imobiliária (e olhem que é uma grande de SP!) eram incorretas. Nenhum funcionário sabia nos dizer exatamente qual seria a taxa, se isso se tornaria 100/200/500 reais a mais no mês. Uma coisa é dizer que fica em torno de 100 reais, a outra é não saber se é entre 100-400 reais, o que em uma parcela assim, faz muita diferença.

Não me lembro exatamente que valor nos passaram, mas refizemos as contas e resolvemos que, apertando, daria para pagar a diferença. No dia de assinar a reserva do apartamento, nos falaram que a diferença era maior ainda. Seria impossível pagar essa diferença e juntar dinheiro para as taxas anuais e para mobilhar o apartamento na entrega. Além disso, procuramos sobre a taxa SATI (que vamos falar dela em outro post) e insistimos com o corretor se seria cobrada e ele sempre nos enrolando “acho que não vai precisar..”. Já estávamos começando a ficar cansados da enrolação e da falta de transparência. Acabamos reservando um apartamento longe da piscina, sol da manhã e virado para o lado que não havia prédios e último andar, como eu queria.

Não lembro quanto tempo depois, mas o G reparou que haviam nos reservado o apartamento errado, que ficava de frente para um morro que tem no terreno. Na hora entramos em contato com o corretor, que disse que era aquele mesmo que tinham reservado a nosso pedido. Não vou me prolongar dizendo que claro que foi enrolação da parte deles em querer nos empurrar um apartamento, de frente para um morro, sem vista nenhuma, e ainda não era nem o andar que queríamos. O corretor disse que não tinha como mudar que esse apartamento, o que nós queríamos, já estava reservado a muito tempo por alguém. (vale lembrar que não era nem na mesma torre, era em uma que nem sabíamos o nome!) Então, nada feito. Falamos que não queríamos mais, por que não tínhamos intenção em comprar mais nenhuma unidade a não ser aquela. Milagrosamente, um tempo depois, conseguiram “trocar” a unidade para a gente, mas ai foi tarde demais.

No meio de preços subindo absurdamente, corretor que não sabia passar as informações corretas e apartamento errado reservado, resolvemos desistir da compra.

Essa foi nossa primeira experiência e posso dizer que aprendemos muito com ela. A partir desse dia, assim que chegamos no empreendimento, já fazemos todas as perguntas chave do negócio (esse tópico vai virar um post. aguardem!) e esperamos pelas respostas certas, ou pelo menos já deixamos mais claro que estamos um pouco mais entendidos do assunto, e que será difícil nos enganar.

Infelizmente não podemos confiar muito no que os corretores e a imobiliária dizem, então conversamos com pessoas na família que entendiam sobre compra de imóveis e com pessoas que residiam no bairro. (no final, descobrimos que tem um baile na rua que fica atrás do terreno, e que provavelmente seria um empecilho para o sono.)

Advertisements

One thought on “Nossa primeira experiência

  1. Pingback: O que é a Taxa SATI? | Procura-se Apartamento

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s